Setor de Endemias apresenta resultados satisfatórios dos trabalhos em Piumhi

 

Em reunião na manhã da última quinta-feira, 24, o setor de endemias apresentou os resultados dos trabalhos que já foram realizam no município, de janeiro até o momento. O relatório faz parte de uma exigência que a Regional de Saúde implantou. Nos resultados, Piumhi se encontra como referência nas ações de combate ao Aedes aegypti da região Centro Oeste do estado.

Participaram do encontro o prefeito Adeberto José de Melo (Deco), representantes de diversos setores do município envolvidos nos projetos de endemias e o agente Carlos Henrique Tristão Santos, que conduziu a reunião.

Na oportunidade foram mostrados os dados comparando o ano de 2016 e 2017, apresentando um resultado positivo, em relação ao ano passado, tendo apenas um caso de dengue confirmado, o qual foi importado, pois a pessoa viajou e retornou com a doença, e apenas sete registros, sendo os demais seis descartados.

Carlos ressaltou a ocorrência dos mutirões de limpeza que estão sendo realizados em todos os bairros do município, destacando que mais de 60 caminhões já foram retirados das residências e lotes, desde quando começaram, o que é um dos motivos da diminuição dos casos de dengue, pois assim há menos possibilidade da proliferação do mosquito.

Ele comentou que existe uma porcentagem de domicílios que os agentes devem visitar e o município supera esse número, visitando mais de 90% das casas.

Outra questão de destaque foram as armadilhas utilizadas para captura de ovos (ovitrampa) e armadilhas para captura de fêmeas de Aedes (GAT).

A GAT se destina à captura de fêmeas do mosquito em busca de água limpa para oviposição. Esse projeto de pesquisa está sendo realizado em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, por meio do Departamento Municipal de Vigilância Ambiental, em parceria com o Laboratório de Ecologia Química de Vetores (LabEQ) da UFMG coordenado pelo pesquisador chefe do laboratório Dr. Àlvaro Eduardo Eiras, Dr. Marcelo Carvalho Resende e o bolsista Paulo Demarco Júnior, e tem como intuito analisar os resultados obtidos em campo com a instalação das armadilhas em todo perímetro urbano do município de Piumhi.

Na reunião, ficou comprovado que os resultados desses experimentos são bastante positivos, deixando de ser algo simplesmente acadêmico pela sua relevância e para 2018 é possível que essas armadilhas possam ser utilizadas, de maneira eficaz, no controle do mosquito.

A ovitrampa é uma armadilha composta por um recipiente preto com quatro perfurações na parte mediana, possui aproximadamente 1L, sendo instalada com uma palheta de madeira compensada de 3 x 12 cm, presa por um clipe em seu interior.

Carlos destacou que foi um projeto iniciado no município pelo coordenador do setor de endemias Luiz Henrique Vieira Mota, o qual foi escolhido para representar a região em um congresso em Brasília, apresentando a mesma, para os demais participantes do encontro, pela experiência com ovitrampas ter sido exitosa e de grande relevância.