SEM REPASSES DO GOVERNO PMP BANCA CUSTO E GARANTE REPOSIÇÃO DE MEDICAMENTOS ATÉ MAIO DE 2018

Uma das principais metas da Administração 2017/2020 é garantir à população o acesso a todos os recursos que garantam saúde plena e qualidade de vida. Um destes canais é fornecimento gratuito de medicamentos por meio da Farmácia Básica de Minas, instalada na praça João Gatti, no bairro Pindaíbas, abastecida por convênio entre o município e o Estado.

Entretanto, em face de falhas no envio de remessas pelo governo mineiro desde meados de 2016, a Prefeitura de Piumhi realizou em maio processo licitatório para adquirir, com recursos próprios, aqueles remédios que há muito faltavam nas prateleiras daquela unidade.

A licitação tem a validade de um ano, portanto, está garantida a reposição contínua dos estoques até maio de 2018. Das 103 diferentes fórmulas que integram o estoque regular da Farmácia Básica para o atendimento a um público mensal de cerca de 3 mil pessoas, 70 delas já estão disponíveis aos usuários do serviço. Ainda é esperada a entrega de outras 33 fórmulas que demandam da logística de transporte para chegarem à cidade.

O reabastecimento imediato da Farmácia Básica é algo possível graças apenas à gestão consciente dos recursos públicos realizada por esta administração, fazendo com que Piumhi se destaque entre os poucos municípios mineiros que apresentam situação financeira suficientemente equilibrada para arcar com uma iniciativa deste porte.

A reposição de medicamentos naquela repartição já alcança números expressivos, somando um total de 635 mil unidades no formato de comprimidos, drágeas, fórmulas líquidas e pomadas, para uso adulto ou pediátrico, além de 100 mil tiras para aferição do grau de glicemia no sangue.

Neste montante, destacam-se 157 mil para uso cardiovascular, 109 mil antidepressivos e antiansiolíticos, 60 mil para tratamento da epilepsia e 30 mil para reposição hormonal, 17 mil antibióticos, 12 mil antiinflamatórios, 10 mil analgésicos, 5 mil bronco-dilatadores, 4 mil específicos para portadores de diabetes, 3 mil para pacientes com gota, 2 mil antialérgicos, dentre outros.

O objetivo da administração é seguir com o reabastecimento até que o Estado regularize o envio de remessas para o município, medida essa que busca evitar que faltem medicamentos para o piumhiense, sobretudo aquele inserido nas camadas mais carentes da população, que na maioria das vezes não em como arcar com os custos totais de um tratamento para restabelecer a saúde.

Fonte: Jornal Alto São Francisco

Aumentar Fonte
Contraste