PRIMEIROS RESULTADOS DA GAT EM PIUMHI SÃO POSITIVOS

Em reunião no gabinete da Prefeitura Municipal de Piumhi durante a última semana, três pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, responsáveis pelo projeto de monitoramento e controle do mosquito Aedes Aegypit no município por meio de armadilhas, falaram acerca do trabalho que vem sendo desenvolvido há quase dois anos no município.

A GAT se destina à captura de fêmeas do mosquito em busca de água limpa para desenvolverem. Esse projeto de pesquisa está sendo realizado em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, através do Departamento Municipal de Vigilância Epidemiológica e tem como intuito analisar os resultados obtidos em campo com a instalação das armadilhas em quatro bairros da cidade, sendo eles Nova Esperança, Lagoa de Trás, Eliza Leonel e parte do Centro.

Segundo o professor e chefe do laboratório de Ecologia da UFMG Álvaro Eduardo Eiras, na fase de pesquisa em que o município se encontra, é feita a implantação de armadilhas para monitorar a ocorrência do mosquito.

Ele enfatizou que os experimentos realizados em Piumhi foram levados para apresentação no Ministério da Saúde e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Os resultados desses experimentos são bastante positivos, deixando de ser algo simplesmente acadêmico pela sua relevância e para 2018 é possível que essas armadilhas possam ser utilizadas, de maneira eficaz, no controle do mosquito.

Durante as primeiras semanas de experimento no município foram capturadas 1108 fêmeas de Aedes Aegypti, sendo 402 no Centro, 283 no Nova Esperança, 267 no Eliza Leonel e 156 no Lagoa de Trás, sendo o projeto estendido até o início do mês de junho nos mesmos bairros.