PIUMHI APRESENTA APENAS UM CASO DE DENGUE NESSE INÍCIO DE ANO

De acordo com o boletim divulgado durante essa semana pelo Setor de Endemias da Prefeitura Municipal de Piumhi, foi possível constatar que o município está com um baixo número de casos de dengue. Apenas um caso foi confirmado no município esse ano, o qual o homem viajou para o interior de São Paulo e já voltou infectado. Cinco casos foram feitos exames e esperam resultado, e um foi descartado.

No mesmo período no ano passado o município apresentava 176 casos notificados, com 20 confirmados, sendo o maior número de casos no Bairro Nova Esperança, já esse ano o maior número de casos suspeitos foi no bairro Nova Piumhi, com três casos.

Apesar do baixo número de casos, Piumhi se encontra com um alto índice de focos, segundo o último LIRAa. Para chegar a esse resultado, a equipe de endemias visitou 886 imóveis, dos quais 80 foram encontrados com focos de mosquito, sendo 86% com focos positivos de Aedes aegypti e os outros 14 de mosquitos diversos.

Dentre os 23 bairros visitados do município, o Centro foi o que mais registrou focos positivos com 12, seguido por Vila Nova com 05 e Nova Esperança com 04, sendo a maioria deles encontrados em ralinhos, recipiente de armazenamento de água, bebedouro de animais, lona, lixo, caixa de gordura e de água.

Dessa maneira, o município se encontra em situação de risco, sendo o índice de infestação predial para o Aedes Aegypti de 6,2%, consideravelmente alto, segundo os parâmetros da Organização Mundial de Saúde.

O setor de endemias reforça que os cuidados devem ser redobrados nesta época, principalmente com recipientes que se tornam criadouros, sendo necessário tomar medidas preventivas, de maneira a manter os ralinhos com tela, baldes e outros materiais que possam empossar água em lugares tampados, lavar os bebedouros de animais pelo menos duas vezes por semana e deixar as lonas sempre esticadas para evitar a formação de poças d’água.

Segundo o biólogo Luiz Henrique Vieira Mota, apesar do município apresentar apenas um acaso confirmado e que não foi contraído aqui, devido ao índice de infestação estar alto, os agentes devem continuar os trabalhos que realizam de prevenção e orientação e a população também deve se conscientizar e ajudar na prevenção ao mosquito da dengue.

Ainda cabe ressaltar que a equipe vem realizando ações de controle vetorial e mutirões de limpeza em todo o município e somente esse ano, 63 caminhões de lixo foram recolhidos pelos agentes e também que o baixo índice de infestação se deve a parceria como o Laboratório de Ecologia Química de Insetos Vetores (LabEQ) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) na instalação das Armadilha Gravid Trap Aedes (GAT) nas residências dos bairros que possuem maior número de focos do mosquito.