4º MISSA ECOLÓGICA DO SÃO FRANCISCO É REALIZADA NA PONTE SÃO LEÃO

Foi realizada no último sábado, 19, a 4° Missa Ecológica do São Francisco, na colônia de pescadores da Ponte do São Leão, divisa dos municípios de Piumhi e Bambuí. Este foi um momento de reflexão sobre questões ambientais e ações do ser humano na natureza, principalmente sobre o cuidado com a “Casa Comum” – Planeta Terra.

A cerimônia foi realizada por meio de uma parceria Espeleogrupo Pains (EPA), a Diocese de Luz e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Piumhi, entre outros apoiadores. Estiveram presentes o Bispo emérito Dom Mauro Morelli, Padre Dênis Cândido da Silva (São Roque de Minas), e o Padre Édson Augusto Teixeira (Bambuí).

Os participantes que prestigiaram o encontro vieram de toda a região, desde Pains, Piumhi, Bambuí, Doresópolis, Formiga, Arcos, Córrego Fundo, Divinópolis, Belo Horizonte e Ouro Preto.

A missa teve como objetivo dar continuidade a ação iniciada em 2016, a qual, um grupo de pescadores da região fez um pedido ao Espeleogrupo Pains – EPA- (que é uma ONG sem fins lucrativos com objetivo de pesquisar e preservar as cavernas do Alto Rio São Francisco), para instalar uma imagem de São Francisco, em um maciço calcário localizado na margem do Rio, próximo à vila dos pescadores.

A imagem foi esculpida em pedra sabão, pelo artista Francisco, da cidade Coronel Xavier Chaves. Uma escultura de 1,60m pesando 200 kg, todavia, uma operação complexa para instalá-la no maciço calcário. Ao longo de 18 anos, o EPA vem realizando pesquisas na região.

A quarta missa teve uma repercussão positiva. Após a cerimônia foi realizado, pelos funcionários da Secretaria de Meio Ambiente de Piumhi, uma coleta de lixo da Rua da Vila.

O Secretário de Meio Ambiente, Martiniano Fagundes, relatou ser a segunda edição que o Departamento de Meio Ambiente de Piumhi participa, sendo uma oportunidade de repensar sobre o meio ambiente, buscando dentro de nossas limitações atitudes concretas.

Para Lucélio Nativo da Assunção, Diretor de Operações do Espeleogrupo Pains (EPA), a quarta missa foi uma das mais emocionantes, onde teve uma participação maciça da comunidade. Sendo que todos os presentes ficaram descalços para ter um contato com a natureza e lembrar-se do São Francisco.

“Os rompimentos das barragens de Mariana e Brumadinho, o desmatamento e os incêndios da Amazônia, derramamento de óleo nas praias nordestinas, foram grandes desastres que não podem repetir! Deste modo, à população deve ter mais consciência e se rebelar contra isso; cobrando do governo, das autoridades as reparações dos danos ambientais, sociais e a criação de políticas para que isso não se repita e punir os responsáveis” destacou Lucélio Nativo.

O biólogo e espeleólogo, relatou ainda sobre a participação do Totte Rodrigues, estudante, que desceu de barco pelo rio e com vestes representando o São Francisco, fez uma oração preparada pela professora Turíbia Oliveira, ambos da cidade de Pains.

“A desigualdade social é um dos grandes fatores potencializadores dos diversos problemas ambientais, além disso, o tema da missa foi atingido com o intuito de mostrar para a população o momento que vivemos agora”, reforçou.

Na oportunidade, já foi agendada a 5° Missa Ecológica do São Francisco, para 03 de outubro de 2020.

Aumentar Fonte
Contraste