PREFEITO DE PIUMHI REIVINDICA CONTRA PRIVATIZAÇÃO DA ELETROBRAS

 

Na última quarta-feira, 04, o prefeito de Piumhi, Adeberto José de Melo (Deco), esteve em Brasília reunido com o presidente do Sidefurnas, Miguel Ângelo, e o vice-presidente da Câmara dos Deputados Fábio Ramalho, para pedir ajuda acerca do anúncio feito pelo governo de que a Eletrobras deve ser privatizada, o que prejudicaria a região, uma vez que Furnas está incluída na lista.

Estiveram presentes na reunião os prefeitos de São José Barra, Serginho da Auto Escola, de Capitólio, Zé Eduardo que é presidente da Alago, de Carmo do Rio Claro, Tião Nara e os deputados federais Renato Andrade, Luís, além de representantes de sindicatos de outras usinas do sistema Eletrobras.

O governo anunciou no final de agosto, em decisão que surpreendeu o mercado, a privatização da Eletrobras, uma gigante formada por centenas de empresas que atuam em todas as três fases da cadeia produtiva do setor de energia elétrica.

São 233 usinas de geração de energia, incluindo Furnas – que opera 12 hidrelétricas e duas termelétricas – e a Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), além de seis distribuidoras, todas na região Norte e Nordeste, e 61 mil quilômetros de linhas de transmissão, metade do total do país e o suficiente para dar uma volta e meia no planeta.

Hoje o governo tem cerca de 60% da estatal elétrica e a proposta é ficar com menos de 50% da empresa. O governo tem trabalhado para concluir a modelagem da privatização. Recentemente o ministro do Ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, afirmou que a proposta deve ser encaminhada ao presidente Michel Temer ainda em outubro.

Segundo Pedrosa, todo o processo deve ser concluído até o início do    próximo ano. Isso inclui a definição, com a Eletrobras, de como será    feita a privatização.

Deco afirmou que “O Brasil precisa evoluir nas formas de pensar em nossa economia e principalmente de preservação do meio ambiente. O povo ta cansado de pagar, pagar e não ter benefício nenhum. Não podemos aceitar isso”, comentou Deco.

No mesmo dia foi realizada uma breve reunião com o deputado federal Rodrigo Pacheco, que também se comprometeu e entrar na briga e garantiu que irá levar essa importante demanda diretamente ao presidente da República.

 

 

Aumentar Fonte
Contraste